Quase final de 2007

Eu, realmente me sinto bem. Senti-me mais madura, e os elogios que venho recebendo das pessoas me motivam cada vez mais.

 

Tenho sentido muito orgulho de mim, meus esforços estão tendo resultados, já estou oficialmente formada, sou uma Bacharel em Sistemas de Informação, meu primeiro emprego, carteira assinada, uma grande empresa, na verdade uma multinacional.

É maravilhoso saber que as pessoas acreditam em seu potencial.

Tenho me dado ao luxo de ter coisas que antes não podia ter um livro! Sim, um livro, vinda de família humilde existiam outras coisas para se preocupar em comprar, e um livro não fazia parte, a não ser que a escola, depois a faculdade me obrigasse a ter.

Tenho descoberto tantas coisas, as palavras desfilam sob meus olhos atentos que lêem, em uma quase devoração, querendo recuperar o tempo perdido. Meus dias tem sido assim, trabalho, atenção para com os meus pais, meus sobrinhos e irmã. Ouvir e sorrir com os amigos.

Vi em algum lugar que: “Não é a quantidade de amigos, que importa, mas sim a qualidade, e é bem por ai mesmo”. Meus amigos, minhas flores, meus anjos. A vida está sendo boa comigo, não tenho como reclamar, porém algo me incomoda.

Sinto falta de alguém, demais até, às vezes me pergunto o porquê, mas não consigo respostas, a não ser o estômago com “borboletas”.

Mudei um bocado esses dias, não para agradar alguém, mas a mim. Revi e ando revendo meus conceitos, meus paradigmas.

Ando aberta a tudo. Quero experimentar para saber do que gosto e do que não gosto. Comidas, bebidas, músicas, culturas, quero, quero, quero, aprender!

O que queria, era apenas dizer, o quanto estou feliz, com essa maturidade que sinto, com essa vontade, força, determinação e esperança.

O que quero para 2008 é continuar com tais requisitos e uma nova oportunidade com essa pessoa que me é tão querida e amada.